Café...tudo de bom!

10.8.11

10 de agosto de 1912 nasce Jorge Amado


Jorge Leal Amado de Faria, nasceu em Itabuna/BA 10 de agosto de 1912 e faleceu em Salvador,6 de agosto de 2001; foi um dos mais famosos e traduzidos escritores brasileiros de todos os tempos.


Ele é o autor mais adaptado da televisão brasileira, verdadeiros sucessos como Tieta do Agreste, Gabriela, Cravo e Canela e Teresa Batista Cansada de Guerra são criações suas, além de Dona Flor e Seus Dois Maridos e Tenda dos Milagres. A obra literária de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, além de ter sido tema de escolas de samba por todo o Brasil. Seus livros foram traduzidos em 55 países, em 49 idiomas, existindo também exemplares em braille e em fitas gravadas para cegos.

 

Amado foi superado, em número de vendas, apenas por Paulo Coelho mas, em seu estilo - o romance ficcional -, não há paralelo no Brasil. Em 1994 viu sua obra ser reconhecida com o Prêmio Camões, o Nobel da língua portuguesa.

Existem dúvidas sobre o exato local de nascimento de Jorge Amado. Alguns biógrafos indicam que o seu nascimento se deu na Fazenda Auricídia, à época município de Ilhéus. Mais tarde as terras da fazenda Auricídia ficaram no atual município de Itajuípe, com a emancipação do distrito ilheense de Pirangy. Entretanto, é certo que Jorge Amado foi registrado no povoado de Ferradas, pertencente a Itabuna.

[...] Crenças

Mesmo dizendo-se materialista, era simpatizante do candomblé, religião na qual exercia o posto de honra de Obá de Xangô no Ilê Opó Afonjá, do qual muito se orgulhava. Amigos que Jorge Amado prezava no candomblé as mães-de-santo Mãe Aninha, Mãe Senhora, Mãe Menininha do Gantois, Mãe Stella de Oxóssi, Olga de Alaketu, Mãe Mirinha do Portão, Mãe Cleusa Millet, Mãe Carmem e o pai-de-santo Luís da Muriçoca. Como Érico Veríssimo e Rachel de Queiroz, é representante do modernismo regionalista (segunda geração do modernismo).

 Mãe Stella do Ilê Opó Afonjá,
 
 Mãe Aninha
 
 Mãe Senhora
 
Mãe Menininha do Gantois
 
 Mãe Stella de Oxossi
  
 Mãe Olga de Araketu
 
 Mãe Mirinha do Portão

Mãe Cleusa Millet

Mãe Carmem
 
Pai-de-santo Luís da Muriçoca
[...]Premiações

Recebeu no estrangeiro os seguintes prêmios: Prêmio Lênin da Paz (Moscou, 1951); Prêmio de Latinidade (Paris, 1971); Prêmio do Instituto Ítalo-Latino-Americano (Roma, 1976); Prêmio Risit d'Aur (Udine, Itália, 1984); Prêmio Moinho, Itália (1984); Prêmio Dimitrof de Literatura, Sofia — Bulgária (1986); Prêmio Pablo Neruda, Associação de Escritores Soviéticos, Moscou (1989); Prêmio Mundial Cino Del Duca da Fundação Simone e Cino Del Duca (1990); e Prêmio Camões (1995).

Prêmio Lênin da Paz (Moscou, 1951)

No Brasil: Prêmio Nacional de Romance do Instituto Nacional do Livro (1959); Prêmio Graça Aranha (1959); Prêmio Paula Brito (1959); Prêmio Jabuti (1959 e 1995); Prêmio Luísa Cláudio de Sousa, do Pen Club do Brasil (1959); Prêmio Carmen Dolores Barbosa (1959); Troféu Intelectual do Ano (1970); Prêmio Fernando Chinaglia, Rio de Janeiro (1982); Prêmio Nestlé de Literatura, São Paulo (1982); Prêmio Brasília de Literatura — Conjunto de obras (1982); Prêmio Moinho Santista de Literatura (1984); Prêmio BNB de Literatura (1985)..


[...] Traduções das obras

Jorge Amado ainda é o autor brasileiro mais publicado em todo o mundo: sua obra foi editada em 52 países, e vertida para 49 idiomas e dialetos: albanês, alemão, árabe, armênio, azeri, búlgaro, catalão, chinês, coreano, croata, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, esperanto, estoniano, finlandês, francês, galego, georgiano, grego, guarani, hebraico, holandês, húngaro, iídiche, inglês, islandês, italiano, japonês, letão, lituano, macedônio, moldávio, mongol, norueguês, persa, polonês, romeno, russo (também três em braille), sérvio, sueco, tailandês, tcheco, turco, turcomano, ucraniano e vietnamita.


[...] Academia Brasileira de Letras

Jorge Amado foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 6 de abril de 1961, ocupando a cadeira 23, cujo patrono é José de Alencar. De sua experiência acadêmica, bem como para retratar os casos dos imortais da ABL, escreveu Farda, fardão, camisola de dormir, numa alusão clara ao formalismo da entidade e à senilidade de seus membros, então.

[...] Obras do autor
* O País do Carnaval, romance (1930)
* Cacau, romance (1933)
* Suor, romance (1934)
* Jubiabá, romance (1935)
* Mar morto, romance (1936)
* Capitães da areia, romance (1937)
* A estrada do mar, poesia (1938)
* ABC de Castro Alves, biografia (1941)
* O cavaleiro da esperança, biografia (1942)
* Terras do Sem-Fim, romance (1943)
* São Jorge dos Ilhéus, romance (1944)
* Bahia de Todos os Santos, guia (1945),(Tradução francesa:"Bahia de tous les saints"),Gallimard,Paris,1979
* Seara vermelha, romance (1946)
* O amor do soldado, teatro (1947)
* O mundo da paz, viagens (1951)
* Os subterrâneos da liberdade, romance (1954)
* Gabriela, cravo e canela, romance (1958)
* A morte e a morte de Quincas Berro d'Água, romance (1961)
* Os velhos marinheiros ou o capitão de longo curso, romance (1961)
* Os pastores da noite, romance (1964)
* O Compadre de Ogum,romance (1964)
* Dona Flor e Seus Dois Maridos, romance (1966)
* Tenda dos milagres, romance (1969)
* Teresa Batista cansada de guerra, romance (1972)
* O gato Malhado e a andorinha Sinhá, historieta infanto-juvenil (1976)
* Tieta do Agreste, romance (1977)
* Farda, fardão, camisola de dormir, romance (1979)
* Do recente milagre dos pássaros, contos (1979)
* O menino grapiúna, memórias (1982)
* A bola e o goleiro, literatura infantil (1984)
* Tocaia grande, romance (1984)
* O sumiço da santa, romance (1988)
* Navegação de cabotagem, memórias (1992)
* A descoberta da América pelos turcos, romance (1994)
* O milagre dos pássaros , fábula (1997)
* Hora da Guerra, crônicas (2008)

Em 1995 iniciou-se o processo de revisão de sua obra por sua filha Paloma e os livros ganharam novo projeto gráfico.

Entre nós, estaria comemorando 99 anos! 

abçs,
Postar um comentário