Café...tudo de bom!

1.3.12

Março: Dia 01

Hoje, na Moldávia e na Bulgária, é um dia muito especial, que todos esperam com muito anseio. É a chegada da Primavera, e com ela muitas tradições e costumes totalmente diferentes do Brasil. 
Na Moldávia, o Mărţişor (ou “querido Março”) é comemorado com um enfeite branco e vermelho na lapela do paletó, que pode ser feito à mão, como se fosse uma peça de crochê. Você não pode comprar para você mesmo, tem que ser ‘ganhado’ e acredita-se que a pessoa que usa esse Mărţişor terá saúde e força nesse ano que está por vir. Ele deve ser usado pelos primeiros 12 dias do mês de março e você tira ele quando vir uma flor.

A história por trás dessa tradição vem da Roma antiga, onde o Ano Novo era comemorado no dia 1º de Março, mês em que o nome é dado devido a Marte, Deus da guerra e também da agricultura. Por essa razão, os primeiros dias de Março são considerados os dias de um novo começo. Por isso, antes do mês começar, as mulheres escolhiam um dia entre os 9 primeiros do mês (esses, chamados de Dias de Baba Dochia, a deusa da Terra); e então, de acordo com as condições do tempo nesse dia, elas julgavam como o resto do ano seria para elas.

Já na Bulgária, a história é um pouco diferente.

A tradição de usar a fita vermelha e branca ou pequenos bonecos (Pizho e Penda), vem da crença de que assim, eles estariam pedindo compaixão à Baba Marta, uma velha senhora mal-humorada que muda de humor muito rapidamente, e com isso, muda também o tempo. O pequeno adorno remete à fertilidade, reverência à natureza, a chegada da primavera, nova vida e saúde. Pela lenda, você deve usar a martenitsa até ver uma cegonha ou uma flor, que simbolizam que Baba Marta está de bom humor e que o inverno está indo embora. Ao tirar a martenitsa, você deve colocá-la embaixo de uma pedra grande e fazer um pedido.

Na noite de 1º de Março, acontece um jantar especial, onde todos devem se perdoar pelos erros cometidos ou qualquer tipo de desavenças. 


Postar um comentário