Café...tudo de bom!

9.5.13

Luz


Erétil sobre o solo rochoso e casto
O negro farol sombrio e desprezado 
Já não mais acende, tudo é nefasto
Seu destino é frio, sempre humilhado.

Então tudo mudou, não mais é casto
Aquele rincão de outrora desprezado.
Transformou-se, nas rochas floresceu o pasto
Outrora sozinho, agora é habitado.

Oh! Aquele asilo, calmo, era escondido
Solitário sob o céu estarrecido
Vivendo agora feliz, tudo enfim produz.

É este meu coração dantes esquecido
Que era o farol tão pobre e desprotegido
Que reviveu e nas trevas nasceu luz

Postar um comentário