Café...tudo de bom!

14.9.13

Sedutora Violência




Alta madrugada,ondas de calor quase tangíveis invadem a vila, abrindo portas empurram os moradores para as ruas,alamedas e parques.O burburinho se forma e o assunto que predomina é o mal estar causado pelo calor e a bênção da brisa que estão a desfrutar.

Namorados aproveitam este encontro inusitado e mostram as suas faces sonolentas  e ruborizadas pela chama do amor.De mãos dadas sussurram segredos que incitam às risadas miúdas.

Entre eles vaga uma dama desconhecida,porte altivo,olhar contundente,envolta em rústicas e bonitas vestes onde busca esconder as mãos nervosamente crispadas.É a terrível e dissimulada Volência buscando insinuar-se no espírito daqueles simplórios moradores de vila.

Indiferentes àquela dama eles elevam o pensamento em oração ao Criador agradecendo a bênção daquele momento singular. A energia pura que emana das suas mentes em oração atinge a Violência como se fôra um dardo envenenado fazendo-a curvar-se sobre si mesma para em seguida correr e esconder-se na única taverna que havia na vila onde um desavisado ser solitário bebericava um vinho azedo e barato.

Percebendo a sua fraqueza moral e o seu abatimento,a Violência aproxima-se e sibila palavras tortuosas aos pés do seu ouvido. Sentindo estranho frio a percorrer a sua espinha,eriçando-lhe o cabelo, ergue a face deparando com um olhar enigmático penetrando a sua alma que se rende ao macabro convite de destruição.

Entregando-se a um conúbio doentio, ser e Violência correm pelas estradas iluminadas por raios prateados do luar,destruindo plantações,agredindo animais adormecidos, adentrando casebres solitários onde adormecidas as pessoas do bem tinham a sua vida ceifada.

Durante muito tempo foram feitas várias tentativas a fim de banir da Terra esta víbora que tenta se disfarçar em anjo a fim de seduzir as pessoas, mas até hoje nunca conseguiram porque há sempre alguém destilando ódio,remoendo ofensas e macomunando ataques aos que feriram o seu amor próprio.

Vitoriosa entre os homens a Violência é como um vírus que após atingir um só organismo, tem a capacidade de multiplicar-se infinitas vezes dentro das suas células para em seguida contaminar quem esteja com o sistema imunológico do Amor, deprimido.


soninha

Postar um comentário