Café...tudo de bom!

15.1.11

Canto Vadio!




CANTO VADIO!


Quero cantar o meu canto de outrora
Onde a aurora se espraiava e fugia...
Cálida, teimosa, meiga menina vadia
Calada pelos cantos da vida. Senhora!

Não penso em falar d'um passado tardio
Mas eis que se erguem colunas de chamas
Embrulhadas em lâminas...clamas !!!
Lembrando o ardor d'um amor fugidio

És o reverso do ser ou não ser
Dos verbos que ousam não padecer
És pura questão matemática

Reverbera em si mesmo,eterno sofrer
que teima em ser e grita: não ser
De um velho grilhão: a temática

bjs,soninha



Postar um comentário