Café...tudo de bom!

22.10.11

Quatro Textos



DECLARAÇÃO DE 1933

Embora eu possa viver em um país onde há liberdade política, tolerância e igualdade perante a lei. Liberdade política pertence a liberdade de expressar suas convicções, bem como o respeito pelas crenças do indivíduo. Estas condições não são plenamente na Alemanha de hoje. Homens que se dedicam à causa e alguns artistas de destaque internacional são na mesma, perseguidos. Como os indivíduos, organismos da sociedade pode fisicamente doente, especialmente em tempos difíceis. As nações freqüentemente lutam para sobreviver a sua doença. Espero que a Alemanha irá em breve ultrapassar a sua, e que no futuro próximo não pode apenas elogiar luminares como Kant e Goethe ao longo do tempo, mas a vida oficial e privado é baseado em suas obras.

A MORAL

Situação curiosa das crianças é a nossa Terra. Estamos para uma breve visita e não sei com que propósito, mas às vezes nós apresentá-lo. Na vida diária não é necessário pensar muito: estamos para os outros. Primeiro de tudo para aqueles cujo sorriso e bem-estar depende a nossa felicidade, mas também para muitos desconhecido cujo destino nos une simpatia. Eu acho mil vezes por dia a minha vida interior e exterior é baseado no trabalho de outros homens, vivos ou mortos. Sinto que devo esforçar-se para dar o mesmo grau que recebi e ainda estou recebendo. Estou inclinado a sobriedade, muitas vezes oprimido pelo sentimento de necessitar do trabalho dos outros. Bem, eu não acho que as diferenças de classe pode ser justificada: em última análise, reside na força. E eu acho que uma vida modesta e despretensiosa exterior é bom para o corpo e a alma.

RIQUEZA

Não há riqueza capaz de fazer avançar a humanidade, mesmo por alguém que conseguiu fazê-lo. A concepções nobres, para ações nobres, apenas lidera pelo exemplo altas personalidades e pura. O dinheiro só leva ao egoísmo, e inevitavelmente leva ao abuso. Você pode imaginar Moisés, Jesus, Gandhi, subsidiado pelo bolso Carnegie?

SOLO AUTÊNTICOS

Há uma contradição entre a minha paixão pela justiça social ea minha completa falta de necessidade de companheirismo, para os homens ou as comunidades humanas. Eu sou um verdadeiro solitário. Nunca pertence inteiramente ao Estado, a Nação, o círculo de amigos e familiares ainda mais perto. Que há um limite para a empatia com os outros é descoberta com a experiência. Aceitá-la é perder alguma da inocência, despreocupado. Mas, em vez concedida a independência das opiniões, os costumes e os julgamentos dos outros, ea capacidade de rejeitar um equilíbrio que se baseia em tais fundações instáveis. 
abçs,
Postar um comentário