Café...tudo de bom!

9.6.11

Meu eterno amor ...


Não suportando mais o teu silêncio resolvi instigar-te através dos meus sentimentos que utilizarei como tintas , na tentativa de colorir esta página.
Dizer que te esqueci seria negar a minha própria existência e a de tudo que me cerca, já que todas as coisas te trazem para perto de mim. "O tempo não para" assim diz o poeta naquela canção que tão bem conheces, mas para mim, ele parou no instante do nosso último beijo.
Sobre os meus lábios, inda queima o fogo dos teus a me buscarem enquanto as nossas salivas misturando-se, aqueciam-se em juras de amor eterno, umedecendo as nossas línguas famintas por gozo e prazer.
Deslizando sobre o meu corpo, as tuas mãos inda se encontram, escaldantes, tatuando o teu desejo por cada canto mais recôndito que se possa permitir e alcançar.

Foram tantos e tão maravilhosos os nossos momentos que eu até hoje me pergunto por que a vida nos separou?! Mas eu mesma penso que tenho tenho a resposta, só não sei se estou certa.

Escuta-me e vês se tenho ou não razão...

Eu creio que a vida não comportava um amor tão lindo e tão intenso e por isto nos permitiu uma pausa para que não estragássemos tudo com a nossa imaturidade e falta de zelo. Sim! o Amor é semente que ao ser lançada carece de muito zelo a fim de que possa germinar e nós não fazíamos isto muito bem, te recordas?

Hoje eu sei, verdadeiramente, que aquele sentimento lindo que fazia a minh'alma sair de mim mesma para espraiar-se tomando dimensões infinitas e alcançando longínguas distâncias, quando eu punha os olhos em ti, era o Amor.

Não, não era! É O AMOR! Pois ela ainda foge de mim da mesma maneira,quando recordo-te.

Anos se passaram desde então e, embora sabendo que talvez não nos vejamos mais nesta dimensão onde estamos, não posso negar o que sinto nem deixar de dizer-te que foste e és o meu eterno amor.

Te beijo com carinho, soninha
Postar um comentário